Entenda o seu gato


A quem é que nunca aconteceu, ter o seu gatinho à frente e simplesmente não o entender?

 Este artigo é para os donos, ou para todos os que querem entender um pouquinho melhor o seu amiguinho.

 Enquanto que os seres humanos utilizam a linguagem oral para se comunicarem e fazerem entender, o gato fá-lo de uma forma mais física, recorrendo à cauda, aos bigodes, às orelhas e por vezes à voz.

 Vamos analisar cada uma destas e doutras formas de expressão, para nos fazermos entender :).

 Apesar do que se diz, miar não é a forma preferida do gato para se fazer comunicar. Pelo contrário, toda a comunicação do gato advém de uma conjugação de sentidos entre o olfacto, a expressão facial, a linguagem corporal e o tacto.

 Os gatos sabem muito bem que não compreendemos os sinais não verbais que eles trocam entre si.

 Dependendo da forma como o gato mia, ele transmite-nos necessidade de algo como (comida/bebida) ou protesto (reclama da sílica estar suja, por atenção, por receber mais miminho). Os miados variam de curto e baixo a grave e longo (quando esta muito zangado). É um desafio entender o que cada miado quer dizer, contudo se for prestando um pouco de atenção, rapidamente pega o jeitinho do seu companheiro.

 A acompanhar o miado, o gato também recorre ao ronronar, normalmente associado a contentamento e ao sibilar, normalmente associado a agressividade ou quando se sente assustado.

 Tal como os cães, os gatos também utilizam a cauda para se fazerem entender. Observar a posição da cauda em conjunto com as vocalizações, pode ajuda-lo a entender o que o seu gato realmente quer.

 A cauda para os gatos é um órgão de equilíbrio e um meio eficaz de comunicação. Quando ele está tenso, se sente ameaçado ou está com raiva você verá que a cauda de seu felino estará posicionada de forma a que ele possa parecer maior do que o potencial agressor.

 Por outro lado, se a cauda estiver para cima, isso indica que ele quer caçar e está atento a cada movimento que acontece ao seu redor.

 Os nossos amigos podem colocar a cauda de diversas forma, a simbolizar sentimentos quase antagónicos. Por exemplo, quando o pelo está armado, este pode-se estar a sentir ameaçado, por outro lado, caso esteja totalmente para baixo, significa que está em modo agressivo e a sentir-se assustado. Pelo contrário, se o gato colocar a cauda entre as pernas, o nosso amiguinho está-se a sentir muito assustado.

 Tal como em nós, os olhos são o espelho da alma. Esta máxima também se aplica aos nossos amigos patudos. Utilize  o olhar para se ligar ao seu felino e a ler os seus sentimentos. Mas fica a dica, quando encaramos directamente e sem piscar, tal pode ser entendido como agressividade pelo seu gato, o que o deixará desconfortável.

 Sempre que um gato olha directamente para você, significa que gosta, confia e se sente confortável na sua companhia.

 Quando ele olha e pisca lentamente, é sem duvida um sinal de grande carinho, de derreter qualquer coração  :).

 As pupilas dilatadas podem ter interpretações distintas, tanto podem significar animação como medo. Temos de analisar os demais sinais para entender correctamente o nosso amigo.

 Já se o seu gato estiver um pouco ansioso, as suas orelhas irão mover-se ligeiramente para trás e achatar para baixo.

 Os bigodes do patudo servem não só para avaliar a proximidade das coisas dos gatos, mas também podem ser um excelente indicador do humor do gato. No estado "normal" permanecem um pouco de lado, contudo se  gato se tornar mais interessado em algo em torno dele, os bigodes movem-se para a frente.

 Se o gato está com medo "tira" os bigodes do seu rosto para mostrar que não é ameaçador o que também faz com que o seu rosto pareça menor.

 Alguns gatos mostram muitas vezes um pouco da língua, isso parece mostrar relaxamento e bem-estar, ou que o gato estava interessado em algo. 

 Este tema é sem dúvida muito extenso e certamente iremos voltar a ele. Para já ficam aqui algumas das interpretações que achamos mais giras e úteis para iniciar uma comunicação saudável com o seu felino. Vale ainda referir que a generalidade destas dicas também se aplicam ao seu cão, pelo que toca a divertir muito no verão, a usufruir ao máximo da companhia dos nossos patudos e lembrem-se que apesar de serem férias, não podemos abandonar os nossos fieis amigos!

 Bjinho e até breve!


1 comentário


  • Maria Ermelinda

    Tenho lido atentamente todos os artigos e tenho aprendido muito sobre o tratamento e situações dos nossos patudinhos. Bem haja.


Deixe um comentário


Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos