Ingestão de plantas tóxicas


Olá,

Quem tem gatos e/ou cães em casa sabe por experiência que existe uma atração quase fatal entre estes e as plantas lá de casa. :)

Tanto os cães quanto os gatos têm o hábito de ingerir as plantas de casa, estes últimos de uma forma mais recorrente.

Este comportamento tem origem nos hábitos de limpeza dos nossos amiguinhos, que no decorrer do seu tão merecido "banho", acabam por engolir os pêlos soltos. Este facto, pode causar uma irritação na mucosa do estômago e em situações mais graves, formar bolas de pêlo, que  poderão obstruir os intestinos, dificultando assim a saída das fezes.

As fibras vegetais (ingeridas sob a forma das nossas plantinhas) desempenham um papel facilitador em todo o processo digestivo do animal, contribuindo assim para o seu bem-estar.

Até aqui está quase tudo certíssimo! O tema que fica bem presente é, sem dúvida, o cuidado extremo que temos de ter na seleção das plantas, que colocamos na nossa casa.

Se fossem os animais a escolher, a escolha seria provavelmente relva, e da bem verdinha e fresquinha! Mas, mesmo neste caso, e para quem tem jardim, é preciso ter cuidado com a ingestão da mesma pelo pet, após ter sido aplicado algum pesticida ou outro produto igualmente tóxico.

São muitas as plantas, no nosso quotidiano, consideradas tóxicas para os nossos pets. Pelo que fazer uma analise na internet, na hora anterior a comprar uma nova plantinha lá para casa, pode ajudar bastante ao equilíbrio familiar.

Indicamos uma pequena lista de plantas "normalíssimas" tóxicas. Contudo existem muitas mais:

- Antúrio;

- Azaleia;

- Babosa;

- Bico de papagaio;

- Comigo ninguém pode;

- Copo de leite;

- Hortênsias;

entre muitas outras;

Os sintomas de intoxicação são variados e em função da planta ingerida. Dos muitos possíveis,  destacamos dos mais comuns:  irritação oral, salivação, vômitos, paralisia da língua, conjuntivite (se em contato com os olhos), diarreia e em situações mais graves o coma ou mesmo a morte.

Sempre que observe um destes sintomas, recorra à ajuda do veterinário, preferencialmente indicando qual das plantas foi ingerida. Este pequeno pormenor é diferenciado e facilitador aquando o diagnostico da intoxicação. Não tente auto-medicar o seu pet....

 

Até breve!!!


1 comentário


  • Maria Ermelinda

    Informações preciosas a ter em atenção para bem dos nossos patudinhos. Bem haja


Deixe um comentário


Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos